Perdida - Livro 1 por Taime

6

 










Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...



       Até pouco tempo eu confesso que me negava a ler livros de autores brasileiros, provavelmente foi consequência das “leituras obrigatórias” que temos que ler para a escola. Sempre achei que as autoras brasileiras não sabiam construir um enredo que cativasse o mesmo público que era dominado pela literatura estrangeira, pois a “forma” que elas descreviam era muito mecânica e acabava por não despertar o interesse . Tudo mudou quando peguei o livro da autora Carina Rissi. A forma como a história é contada lembra um roteiro de um filme do cinema, é possível imaginar claramente cada cena, é como se estivéssemos assistindo os acontecimentos na nossa frente.
   

     A história se passa nos dias atuais, nossa mocinha se chama Sofia, possui de 24 anos, e é uma garota moderna, viciada em internet, pois esta sempre conectada nas redes sociais; podendo ser classificada como totalmente dependente da tecnologia, pois nem cozinhar ela sabe (isso só faz com que ela se torne mais real, pois hoje em dia a maioria das garotas também não cozinha e sobrevive de comidas congeladas). Imaginem uma pessoa dessas vivendo em uma “época” em que não existia eletricidade? Pois é ... já da para imaginar as confusões que viriam pela frente .





     O tema viagem no tempo não é nada criativo, pois estamos acostumadas a ver e ler sobre isso, mas a Carina conseguiu pegar uma coisa velha e inovar, pois tenho certeza de que viagem no tempo por celular ninguém nunca tinha visto.

     Já Ian Clarke é o príncipe encantado que toda mulher gostaria de encontrar, pois realmente como ele não existe outro; gentil, paciente, amoroso e rico, um perfeito cavalheiro para a época de 1830. Ele a encontra perdida no campo e acha que ela foi assaltada e deixada apenas com seus trajes íntimos, para ele aquilo é roupa de baixo, pois se trata de uma regata branca e uma minissaia acompanhados eternamente pelos seus tênis All Star vermelhos. É possível perceber o grande trabalho que a autora teve em suas pesquisas, pois ela descreve detalhadamente todas as características presentes de época em questão, como os costumes, as vestimentas e a cultura. Quando se fala em cultura dessa época é impossível não citar Jane Austin, pois até mesmo ela estava presente através de seus livros .

     O que torna esse romance tão atraente é justamente o fato de que os personagens não tem nada em comum e que mesmo pessoas tão diferentes podem se amar.

     Eu quase morri de tanto rir quando nossa querida Sofia descobre que naquela época não existia banheiro e sim uma “casinha” no jardim (banheiro ecológico) e que logicamente sem banheiro, sem papel higiênico, garanto que os leitores nunca mais olharão para um “sabugo” ou um pé de alface da mesma maneira.

 








“Pé de alface como papel higiênico! Sem agrotóxicos ainda por cima! Ao menos eram lavadas primeiro ? Os ecologistas iam adorar essa ideia. Totalmente biodegradável. (pag. 73)


    Já em outras partes chorei de tristeza, pois a agonia dela  era tão real que parecia que  quem estava passando por tudo aquilo era eu.


 
“ Se , por sorte, algum dia puder vir a ler estas linhas, não te esqueças que a amei desde o primeiro instante e a amarei até o ultimo.Talvez até depois.
Vemo-nos em breve,
Eternamente seu I.C.” (pág. 425)





     Além dos protagonistas temos vários personagens divertidos como Elisa, a irmã de Ian, Teodora, a vizinha metida, Madalena, a criada, Gomes, o mordomo e Nina, a melhor amiga de Sofia. Recentemente foi divulgado que perdida vai virar filme (os fãs estão enlouquecidos) e ainda este ano, mas precisamente na bienal de SP em agosto de 2014 será lançado o livro PERDIDA 2 e é claro que estarei nessa fila para adquirir o meu exemplar.
    Sem sombra de duvidas Carina Virou a minha escritora nacional favorita.
     Em breve publicaremos a resenha de Procura-se um marido – Carina Rissi




6 comentários:

Gilberto da Silva disse... [Responder]

Também não sou muito fã de autores nacionais mas depois da sua resenha, acho qeu vou dar uma chance a eles começando por esse livro .

Tamires Huyla Silva da Silva disse... [Responder]

Esse livro é realmente muito bom .
Depois que vc começa não consegue mais parar .

Leila disse... [Responder]

Estou lendo este livro! Até agora, estou gostando da leitura.

Adorei o blog!
Estou seguindo.

Ficarei feliz com uma visita sua ao meu blog!
www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br

Um abraço!

Fabiana Brun disse... [Responder]

Devo concordar que eu também tenho receios de ler livros nacionais, mas como vc mesma disse, só lendo que iremos saber se é bom ou não.
Acho que para começar, este livro é o ínicio. Nunca mais vou comer vegetais!!! :f

Tamires Huyla Silva da Silva disse... [Responder]

Não conheço ninguém que tenha lido e não tenha gostado ... Depois da Carina eu acredito nos autores nacionais !!!

Jussara silva disse... [Responder]

eu adoro esse livro !!!!!!!!!!! não vejo a hora do vl. 2 ser lançado

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t